segunda-feira, julho 31, 2006

11 - Anorexia

A Teresa tinha 15 anos quando entrou em coma. Era tão nova e tão bonita, mas julgava-se feia, descomposta, desengonçada e extremamente gorda. Se a situação não tivesse sido tão grave e problemática seria irónico para aqueles que conhecem a Teresa. Como é que uma rapariga de quinze anos, com um sorriso sedutor, alta e tão elegante poderá achar que não pertence aos padrões actuais da moda?! É tão ridículo como alguém pode quase perder a vida por uma estupidez dessas. E, chega-se a uma determinada altura, que o problema deixa de ser só dela para ser de todos aqueles que a amam.
Os pais, sempre falaram tanto com ela... E quando nas novelas ou nos jornais ou nas televisões abordavam o assunto da anorexia, os pais da Teresa diziam sempre que se, um dia, por acaso, isso lhes acontecesse, eles saberiam logo notar e nunca deixariam as coisas chegarem ao ponto de ter que haver internamento devido a perturbações graves e a problemas relacionados com a saúde. Mas, as coisas acontecem sempre tão rápido, e a Teresa era uma rapariga ajuizada e, na verdade, os pais nunca se sentiram ameaçados em relação a isso, porque conheciam a filha que tinham e não a julgavam capaz de passar por tal.
E foi tão fácil perder peso. Passou a ficar mais tempo na escola e, assim, foi tudo muita mais fácil, porque se era lá que passava a maior parte do tempo, era lá que, sozinha, teria que se alimentar e, incrivelmente, teve dias que não comia nada. E, em casa, sempre que, por algum motivo, a “obrigavam” a comer ela lá o fazia, mas em seguida tudo o que tinha comido era, de imediato, “expulso”. Na escola, acreditavam que era em casa que ela tinha as boas refeições e, em casa, julgavam que era na escola... Daí, a situação da Teresa, ter sido facilitada. As roupas eram largas para não se notar a perda de peso, o rosto ia ficando cada vez mais pálido, as tonturas eram constantes e a má disposição começava a ser diária. Dias, semanas, e até meses sem ser descoberto o problema da Teresa, embora as suspeitas já começassem. Mas foi a professora de matemática da Teresa que teve em atenção a sua situação e se apercebeu do seu problema. Alertou os pais e os amigos e foi difícil fazer com que a Teresa acreditasse que estava doente, pois ela insistia em achar-se gorda, mesmo quando chegou a pesar 36 kilos. Foram tempos terríveis que deixaram marcas. Fazia impressão olhar para o rosto dela, para as suas mãos em que a pela quase se desfazia; o cabelo, tão fraco, feio e a aquela cara, com pele enrugada e só ossos, faziam crer que estávamos a olhar para um cadáver. Era terrível e foi difícil para todos superar aquela situação. Hoje a Teresa sabe que nunca deveria ter feito o que fez, sabe que a beleza que ela realmente tinha perdera-a simultaneamente com todo o peso que perdeu e, aí, ficou realmente feia, deselegante e tornou-se numa pessoa desagradável porque psicologicamente continua afectada. Mas, apesar de tudo, a situação dela poderia ter sido bem pior se ela não tivesse o apoio que teve, o amor incondicional que nunca lhe faltou, mesmo nos momentos em que ela era arrogante e desagradável para as pessoas que a tentavam ajudar. Se assim não fosse, certamente ela nunca teria saído do coma e o destino mais provável seria a morte. Mas isso não aconteceu e, agora, anos depois, continua a tentar recuperar. Está gorda, mas dos imensos medicamentos que tem que tomar e, assim, desgraçou a sua vida, pelo menos a vida de menina feliz que dantes tinha e que jamais poderá recuperar. Agora, apenas tenta ser feliz com aquilo que tem e, sem dúvida, ama todos aqueles que nunca a deixaram, porque a amizade, porque o verdadeiro amor faz com que ultrapassemos as piores situações, mesmo aquelas que nos parecem sem solução.

44 comentários:

  1. como é possivel resistir a gelados?!

    ResponderEliminar
  2. Um tema pertinente que me dispenso de comentar. De qualquer forma semelhante a tantos outros (abuso de comida, alcool, tabaco, medicamentos), e sei lá que mais coisas.
    Fica bem.
    Manuel

    ResponderEliminar
  3. Nao vou comentar a anorexia, vou sim deixar um gosto especial que senti pelo teu blog. Li por alto, mas apesar do meu tempo ser mto pouco ficou nos favoritos para vir cá ler todos os textos sobre a cor desta vida ;);) Beijinho*

    ResponderEliminar
  4. tive uma amiga que sofreu de anorexia... aquela historia marcou-me de tal maneira que passei a encarar determinados problemas na minha vida de forma diferente...

    ResponderEliminar
  5. Mónica,
    eh eh, tens razão lol

    De proposito,
    problemas que, nem sempre, são encarados da melhor forma!

    a cor do mar,
    um beijo para ti também e volta sempre :-)*

    Joana,
    como te compreendo.
    Um beijo*

    ResponderEliminar
  6. Ainda bem que ela teve ajuda. De já com ela é dificil, nem quero imaginar sem nenhuma(ajuda).

    brigada pela visita... tou a lerte

    ResponderEliminar
  7. Passei por aqui e gostei, volto...

    ResponderEliminar
  8. Olá menina, é sempre com enorme prazer que passo aqui pelo teu cantinho.
    Dou comigo a tentar imaginar-me numa situação dessas, e nem sei o que pensar, apenas sei que terei que me manter ainda mais atento, é que de facto estamos rodeados de possiveis causas que podem afectar a nossa felicidade e de quem nos rodeia!

    Deixo-te um beijo e o desejo de um dia feliz.

    Até outro instante...

    *O teu coração chora?

    ResponderEliminar
  9. Já passei por algo parecido com uma pessoa muito, mas muito, querida! Não chegou foi a esses extremos.

    Gostei deste post.

    ResponderEliminar
  10. Felizmente nunca tive ng que tivesse nessa situação, mas li um livro que me deixou completamente chocada, mas que recomendo: O outro lado do espelho ;) é uma verdadeira história de anorexia e bulimia. Beijinhos.

    ResponderEliminar
  11. Olá Madalena,
    trouxeste à baila um tema muito pertinente e infelizmente tão actual.. fácilmente as jovens e adolescentes vão na onda daquilo que veêm na tv e os pais têm mesmo que estar muito alerta! Não é fácil mas só assim se conseguirão evitar males maiores.
    Bjhs e boa semana

    ResponderEliminar
  12. Tenho uma amiga que passou pela situação... na altura foi penoso para mim pois era a miha melhor amiga e eu vivia intensamente a situação, para ela ainda mais, hoje ultrapassou a situação e tem uma vida quase normal apesar de ter ficado com sequelas... é uma doença muito complicada e perigosa!
    Obrigada pela tua visita!
    Fica bem

    ResponderEliminar
  13. Ora aqui está um texto que muita gente ler e reler...

    Obrigado pela visita ao meu blog.

    ResponderEliminar
  14. Vi-te no blog da Sol.. não resisti ao coração e vim visitar-te...
    gostei, muito!

    Beijinhos de primeira visita

    ResponderEliminar
  15. Não há nada pior que uma doença do foro psicológico. É preciso muita coragem para enfrentar uma situação dessas, porque as pessoas mais chegadas sentem-se de mãos atadas sem saber o que fazer e consequentemente também ficam psicológicamente abaladas ao verem um ente querido seu a sofrer.

    ResponderEliminar
  16. Querida Madalena
    É mesmo uma doença crónica, como o alcoolismo... não há cura, pois o problema tem a ver com a rejeição de alguém ou de todos, o que leva à auto-rejeição, etc.... muito complicado. Estar atento e informado é muito importante.Bem-hajas.
    Um beijo
    Daniel

    ResponderEliminar
  17. Obrigada a todos pelos comentários.
    Um beijo e boa tarde :-)*




    PS: Louco, o meu coração sorri! :-)

    ResponderEliminar
  18. É sempre complicado... em especial porque é uma doença silenciosa, por muito que nos digam que nao, nao somos assim, nos pensamos que somos e ponto, nada ha a fazer, é como um mecanismo invisivel aos olhos de todos, so visivel aos olhos da propria anorexica!Quando falam desta doença e outras lembro me sempre da depressão... beijos

    ResponderEliminar
  19. É uma história triste, difícil...
    Ao que a moda e uma sociedade de estereótipos nos obriga…?. Ser aceite socialmente é tudo; sermos nós próprios nem sempre é fácil!...

    Gostei do blog. Prometo voltar!

    ResponderEliminar
  20. Vampiria,
    há que estar a tento, sim. É uma doença comum em que muitos (porque esta doença não atinge só raparigas) sofrem em silêncio.
    Obrigada pela visita :-)*


    Cristina,
    tens razão. Há que saber gostar da nossa própria pessoa, depois... então tudo é visto de uma outra forma e, assim, fica tudo muito mais fácil.
    Beijinho e volta sempre! :))*


    Velutha,
    uma simpatia! :-)*

    ResponderEliminar
  21. olá :)
    vim espreitar aqui o teu cantinho e assim à 1ª vista tenho a dizer q gostei. irei voltar

    beijinhos e bigada pela visita à horta :)

    ResponderEliminar
  22. fiquei muito impressionada com este teu post.. é incrível essa situação. Acho que nunca vou conseguir entender bem a anorexia... antes gordinha e com saúde!
    Um beijão para ti e bem hajas por nos despertares para esta problemática!
    Beijinhos,
    Cláudia

    ResponderEliminar
  23. Este é um tema que devia ser mais divulgado do que realmente é, Madalena... :S
    Infelizmente estas situações existem, quase sem nos apercebermos!
    Cabe-nos falar no assunto, passar palavra... e tu estás a fazer a tua parte! Obrigado :)

    Beijo grande para ti

    ResponderEliminar
  24. Felizmente nunca tive que lidar com um caso de anorexia junto de mim e sinceramente não sei que faria...
    No entanto já fui várias vezes "acusada" de o ser, o que sinceramente é muito desagradável! :(
    Até parece que alguma vez ia desistir dos meus chocolates, etc, etc...

    P.S. Obrigada pela visita ao meu cantinho! :)

    ResponderEliminar
  25. Queridissima, que post mais bonito, completo e real este aqui :) gostei mto... tb tenho neura de dietas depois de anos nelas...e depois da em extremos... :(

    ainda bem que a professora abriu os olhos aos outros.

    Beijokas minhas
    Obrigada pela visita!

    ResponderEliminar
  26. Conheço uma Teresa igual a essa. E chama-se mesmo Teresa.
    O futuro dela, provavelmente, descreveste-o aqui.
    Coincidências que nos fazem pensar.

    ResponderEliminar
  27. Adorei o blog!

    Beijinho colorido*

    ResponderEliminar
  28. Acho te brilhante, obrigada por me visitares. Abraço Laura

    ResponderEliminar
  29. Um tema pertinente. São muitas as jovens que ambicionam ser como aquelas manequins que , esqueléticas,fazem os desfiles de moda que nós constantemente vemos na televisão. São bem magras , algumas com grandes sacrifícios e custos, as actrizes que diariamente nos entram em casa pelas inúmeras telenovelas que por aí pululam e ser magro tornou-se o ideal de qualquer rapaz ou rapariga e o contrário é um estigma que leva rapidamente à marginalização. Quanto aos pais, neste como noutros problemas da sociedade de hoje,levam tempo a aperceber-se e às vezes é muito tarde para recuperar o irrecuperável. Este caso teve um fim razoavelmente feliz na medida em que a Teresa não partiu mas aquela que ficou não mais será a mesma. Compete-nos a nós ajudá-la o mais possível.
    Beijos

    ResponderEliminar
  30. Olá,
    Obrigada pela visita:) Vou voltar aqui, gostei muito!
    Beijocas coloridas*

    ResponderEliminar
  31. Poderoso o teu blog... cheio de sentimentos e emoções muito fortes... gostei, e vou voltar...

    ResponderEliminar
  32. Agradeço os vossos comentários, principalmente neste tipo de temas...

    Um beijo a todos
    e obrigada :-)*

    ResponderEliminar
  33. Nossa, estou em estado de espanto, não só pela anorexia mas pela forma intensa que escreve.

    E amei o modo que descreve o amor que não se acaba.

    Parabéns, adorei o seu blog.

    Beijos mil

    ResponderEliminar
  34. é triste haver gente que tem estes problemas...
    vou de ferias:D
    fica bem
    beijo!

    ResponderEliminar
  35. Vi há dias o programa que deu na tv sobre este tema. Apesar de andar minimamente informado, há coisas que me tinham passado ao lado. Uma delas foi que as pessoas que sofrem de anorexia, por muito magras que estejam, acham-se sempre gordas. E o mais triste é que isto é fruto de um produto da sociedade: a mulher elegante deve ser quase pele e osso. Veja-se os modelos da actualidade. Nos anos 70, era precisamente o contrário. Quem não se lembra, nos antigos filmes do 007, as Bondgirls eram todas um pouco rechuchudinhas. São modas, mas que infelizmente os adolescente assimilam com muita facilidade..

    ResponderEliminar
  36. Dani Morreale,
    muito obrigada :-)*

    Casemiro dos Plásticos,
    eh eh, boas férias ;-)

    vinte e dois,
    modas que há quem vá atrás.
    Porque a beleza tem que ser natural, embora possa ser trabalhada, mas com juízinho.
    Enfim, tanta coisa que haveria para falar...
    Obrigada pelo teu comentário, volta sempre :-)
    Beijo*

    ResponderEliminar
  37. É tão triste que alguém consiga chegar a um estado tão mau. Os amigos são muito importantes e delizmente ela teve-os ao seu lado.
    Quando o ser humano se consciencializar que a beleza vem do interior e não do exterior, nada muda.
    Gostei muito do teu blog.
    Voltarei.
    Beijos de Luz

    ResponderEliminar
  38. Quem ilumina estas cabeças que querem ser corpos iluminados?!

    ResponderEliminar
  39. O que varias garotas não fazem por um corpo ''perfeito'', mas muitos corpos bonitinhos não são o que elas querem e sim, receberem ''elogios''
    Um corpo SAUDÁVEL é muito mais valorizado do que do que aqueles esqueletos de fora, e o que a midia não influencia não é?! ¬¬'

    dó, muita dó ~;

    ResponderEliminar
  40. Mídia escrota, corpos perfeitos não existem..
    e sim photoshop, modelos se matam para conseguir o peso necessário para realizarem seu sonho, e depois por medo de engordam, acabam se refletindo nisso!

    ResponderEliminar
  41. voce e guerreira

    ResponderEliminar
  42. Ola só hj esse ano vi seu blog e acredite existem mil terezas,chorei muito pois a sua tereza é completemante igual a minha, uma sobrinha que aos 13 anos começou tb com os mesmos sintomas e graças a Deus hj ela faz faculdade, tem 25 anos casada,enfim sobreviveu.um grande abraço, e muito obrigado,pela a oportunudade de conhecer-las.

    ResponderEliminar