domingo, julho 16, 2006

5 - Escassa Vida

Olho para mim e vejo que já nada resta. O tempo passa e tudo acaba por se desfazer. Não interessa se recuo ou se avanço, porque seja o que for que eu faça já é tarde. Toco-me e já não me sinto. As estradas que percorri já não existem e as escolhas que fiz, agora, já não fazem mais sentido. Caminhei sempre cuidadosamente para que tudo o que, até à data, estava bem construído não se perdesse de repente. Caminhei cuidadosamente para que não houvessem lacunas e para que eu, no fim da minha vida, pudesse olhar para trás e sentir que tive Vida! Mas nada restou, apenas o vazio que se, talvez, tivesse esquecido o ‘politicamente correcto’; tivesse amado quem eu quis e quem me quis amar; tivesse percorrido caminhos ocultos na tentativa de alcançar os meus sonhos, talvez estivesse agora no meu rosto cheio de rugas um sorriso de sabedoria, de quem sabe o que é viver. E, se para saber o que é viver, eu tivesse que cair muitas vezes nos degraus da vida, então que caísse, pois logo me levantaria e, assim, ia aprendendo a viver para depois recordar, sorrir e para sempre adormecer.

21 comentários:

  1. Ao ler os textos que vai colocando, talvez se sinta feliz, por alguém (como eu) que os vai lendo cuidadosamente e aprendendo com a sua sabedoria de vida...e talvez...por alguns momentos que possam a vir acontecer..ai talvez pare e pense nas "cores da vida" :)

    ResponderEliminar
  2. Post pessimista, mas que nos faz pensar até que ponto é enriquecedora a experiência de vida.

    ResponderEliminar
  3. Por vezes os balanços de vida, deixam-nos assim esse travo amargo. Mas nunca é tarde, sabias? **

    ResponderEliminar
  4. um balanço de uma vida que parece não ter sido a opção que mais te agradava tomar. No entanto, os mais jovens, ao lerem o teu testemunho, talvez cheguem à conclusão que vale sempre a pena lutar pelos nossos sonhos ainda que tenhamos de travar uma dura luta, cair se a isso formos obrigados, mas nunca desistir.
    Um beijo

    ResponderEliminar
  5. Que belos textos no novo blog.
    Parabéns.
    Vou adicionar á minha lista de blogs.
    Belos textos que revelam vida e sabedoria.

    ResponderEliminar
  6. Estive a ler os teus textos. :) é sempre bom ler destas coisas. Tentar perceber o que vai na alma de quem escreve, a nameira como o faz, é sempre algo novo.

    Parabéns!

    Obrigada pela tua visita no meu quarto azul, e volta sempre, eu também voltarei :)

    ResponderEliminar
  7. Nunca é tarde para se viver, o presente é sempre o fim se pensarmos que não fizemos o que deveriamos ter feito, mas o presente tem futuro, existe sempre algo para acrestar.
    Acrescenta!

    Beijo, até outro instante...

    ResponderEliminar
  8. Um texto tocante de reflexões profundas e que enseja nossa próprias reflexões sobre o estar na vida. Muitas vezes, amiga, deixamos de percorrer os caminhos que gostaríamos, de tomar atitudes que estariam de acordo com nossos desejos, de fazer escolhas que nos abrissem as portas desejadas, apenas para satisfazer aos outros ou para poupar alguém das consequências de nossos atos. E nessa 'renúncia' de nós mesmos, ficamos anulados perante a vida, e só vamos nos dar conta de tudo aquilo que deixamos de fazer em prol de nossas vontades, visando sempre não magoar terceiros, quando a vida vem nos cobrar o que foi feito da nossa própria vida. E é nesse momento do encontro de nossas verdades que nos damos conta do vazio de nossa existência.

    Este foi um de seus profundos e tocantes textos, amiga querida, com que sempre vem nos presentear numa proveitosa partilha.

    Deixo um beijo no coração, flores na janela da alma, e sorrisos no seu olhar, para enfeitar a semana que se inicia, com muito carinho de mim pra você.

    ResponderEliminar
  9. Como te compreendo Madalena! Mas também te digo que nunca é tarde para alterar o percurso de um caminho que percorremos por engano!... O mais dificil é dar o primeiro passo... Porque esperas?


    Deixo-te o meu abraço...

    ResponderEliminar
  10. «O valor de uma vida, pode medir-se pelo número de vezes que a sua alma foi profundamente perturbada.»
    (Soichiro Honda)

    ResponderEliminar
  11. Nao desistas... a vida espera por ti... Agora!!!
    acredita...!!!

    ResponderEliminar
  12. A vida. A morte. O que foi a vida, ou o que afnal é, se calhgar agora mesmo.
    Misto de desistência, reencontro e.... ainda, u,ma réstia de esperança.
    Mas,
    Afinal,
    não é assim a vida?
    A vida de todos nós?
    (se eu tivesse..... se eu fizesse..... se eu dissesse...ou se eu não tivesse .... se eu não tivesse feito.... se eu não tivesse dito)
    :)
    Beijos

    ResponderEliminar
  13. Depois da bonança virá a tempestade. Sinto que algo está a fermentar em ti que dentro de pouco tempo germinará com muita força. É só um pressentimento.
    Parti do princípio que o belíssimo texto que escreveste não é ficção. Se for...

    Beijinhos e boa semana.

    ResponderEliminar
  14. Tão imenso o teu texto, tanta vida, podes crer! tantacoisa bonita para fazer...tanto para aprender...

    Doce beijo

    ResponderEliminar
  15. Nós somos o que parecemos... e nunca o que queremos. Pk não alterar a situação?

    ResponderEliminar
  16. Minha querida amiga isto é viver, o nosso caminho de aprendizagem é feito de quedas, o importante é sabermos pôr-nos de pé sempre e da melhor maneira. Sem os momentos maus não saberíamos dar valor aos bons.

    Beijos com carinho.

    ResponderEliminar
  17. Não olhes para trás, caminha sempre porque a todo o momento tens escolhas para fazer e acredita que so contigo aprenderás.
    Se feliz...

    ResponderEliminar
  18. Para aprender é mesmo preciso cair..

    Por vezes até é nexessário manter-se estilhaçada por um tempo no chão frio e duro...

    Mas quando nos levantamos, que seja sempre mais forte que nunca...

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  19. A realidade é coisa que poucos saberão...

    ;-)*

    ResponderEliminar
  20. Pois... o mal é seguir caminhos limpos e sem precalços... "as cores da vida" não são assim... nas escolhas é preciso sempre ouvir duas vozes e não apenas uma.

    ResponderEliminar
  21. Dizem que só se dá valor ao tempo depois dele ter passado...
    Tento procurar a coragem de cometer os meus erros em vez de evitar os erros dos outros...
    Adorei o post, apesar de deixar-me nostalgica.

    ResponderEliminar