terça-feira, agosto 26, 2008

38 - Expulsa

A escolha foi tua, meu amor. Escolheste magoar-me vezes sem conta e, um dia, fartei-me de dizer que te amava, de fazer o melhor que sabia para te agradar. Fartei-me de ser compensada com gritos, berros, palavras ofensivas e injustas… Palavras que tanto feriram os meus ouvidos. Fartei-me de amar quem não se apercebe desse amor ou, ainda pior, se se apercebe, o quer matar.
Será pecado odiar tanto quem, um dia, nos gerou? Odiar profundamente aquela mulher que, um dia, chegámos a dizer “és a melhor mãe do mundo”? Não, não pode ser. Pecado é falsificar sentimentos, esconder emoções e viver dizendo o que não se sente. Pecado é dizer-se “eu mato-te”, pecado é magoar-se desta forma alguém… e se substituirmos alguém por filha, o pecado será, certamente, bem maior.
A escolha foi tua. Não posso continuar a viver no meio desta esquizofrenia, porque estou farta de, sem perceber porquê, mudares de personalidade de dois em dois segundos. Faz-me mal viver assim; faz-me mal expulsar-te da minha vida, mas se continuar a viver assim vou morrer, todos os dias, um pouco mais.
A escolha foi tua. E talvez até tenhas sido tu que, com essa forma de viver, me tenhas expulso da tua vida. Eu não sei. Roubaste-me todas as certezas que fui construindo ao longo da vida…mas uma nova se criou: vou vencer nesta vida e vou vencer sem ti.

A escolha foi tua, mãe.

23 comentários:

  1. Um post dramático. A decisão parece tomada mas, pergunto, será possível cortar definitivamente o cordão umbilical com aquela que nos gerou por mais que ela nos faça sofrer? Luta pelo teu bem estar. Não hesites mas o afastamento total não me parece a solução. Desculpa!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. www.tudoquesefaz.com28/8/08 12:00

    Conheci o teu blog por acaso... Sabes os acasos da vida? foi um deles! Decidi ler, reler, coscuvilhar e confesso que gostei,que me deixei envolver nas tuas palavras. Espero que este blog não seja mesmo autobiográfico, mas fascina essa indecisão... saber o que é e o que não é realidade! Gostei! Passarei mais vezes! Um beijinho
    Su

    ResponderEliminar
  3. São palavras difíceis, um pouco pesadas... Mas, penso que nada nesse mundo é definitivo...


    Beijos de luz e o meu carinho! Grata pela sua visita...

    ResponderEliminar
  4. É duro, mas segue a tua vida.

    ResponderEliminar
  5. Cara amiga, este teu texto é duríssimo, implacável.
    Não sei se alguma vez conseguiria falar assim dos meus pais por muito mal que me tivessem feito.
    Mas respeito a tua opção e a tua revolta, pois não faço a mínima ideia do que se passou realmente.
    E nem sei se o texto é ficção...
    Mas às vezes temos que tomar opções radicais na nossa vida.
    Espero que, se esse for o teu caso, sejas feliz e venças.
    Beijinhos solidários.

    ResponderEliminar
  6. Olá!

    Às vezes é necessário por os pontos nos ii, caso contrário os outros, independentemente de quem são, podem pensar que o nosso amor será eterno...

    Força,

    Beijinhos,

    Graça Mello

    ResponderEliminar
  7. Gonçalo5/9/08 01:59

    espero que o blog nao seja autobiogra'fico de todo.
    nao sou ningue'm para sequer imaginar a tua vida ou colocar-me no teu lugar, mas senti a necessidade de comentar o teu blog por abordares tao fragil assunto.
    em primeiro lugar dou-te os parabe'ns porque te foi atri'buido o dom da palavra. Depois tento so' lembrar-te que das unicas pessoas, que apesar de todas as brigas e discussoes, nunca nos abandonam e nos amam nem que no's façamos das mais ba'rbaras asneiras, sao os nosso progenitores.

    um beijo e os parabe'ns novamente porque de facto, a tua escrita cativa-me. ;)

    ResponderEliminar
  8. Onde acaba a terra e começa o Mar
    Há um lugar onde vive a ilusão
    Repousa na madrepérola das conchas
    Com a forma de um coração

    Onde as giestas se agarram à areia
    Onde as pedras têm diadema de algas
    Onde o Mar conta histórias longínquas
    Onde as vagas soltam distantes mágoas


    Bom fim de semana


    Mágico beijo

    ResponderEliminar
  9. Amargo é o gosto com que fiquei depois de te ler.
    Mas as escolhas são-no sempre.

    ResponderEliminar
  10. Olá, minha querida!
    Queres dar um saltinho ao meu blog
    http://eusoulouco2.blogs.sapo.pt?
    Obrigado!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Entretanto... publiquei mais um poema.
    Gostava de saber se gostas.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  12. Se as palavras (te) ajudam a carregar as pedras da vida, então escreve. Eu voltarei sempre para beber nelas.
    bj
    Gui
    coisasdagaveta.blogs.sapo.pt

    ResponderEliminar
  13. Conheci seu blog atraves do blog do conhecimento. Duras, mas verdadeiras palavras que às vezes precisam ser ditas.

    Marcio Candiani psiquiatra infanto juvenil e de adultos

    http://saudementalgeraes.blogspot.com
    http://marciocandiani.site.med.br

    ResponderEliminar
  14. muito triste
    mas gostei da forma como escreves
    beijos
    P.S voltei

    ResponderEliminar
  15. Não existe curso ou certificação de maternidade... apesar das crianças serem o património do futuro, o elemento mais precioso do amanha... podem ser feitas e educadas por qualquer pessoa que não é necessáriamente apta apenas porque deu á luz...

    ResponderEliminar
  16. Pode não ser autobiográfico, mas que é muito do âmago, lá isso é!

    ResponderEliminar
  17. Sempre me espantou o facto dos leitores se preocuparem com o facto de ser autobiográfico aquilo que se publica. Não será isso uma espécie de curiosidades de comadres? Importante é a voz com que escreve!A força da Palavra! E essa tu tens a grata sorte de a possuir!
    Parabéns!

    ResponderEliminar
  18. Recordo profundamente o que fiz mas jamais consigo lembrar-me de que escrevo sem o ler. Já, em tempos, li algo como o que aqui encontro. Apetece-me concluir que as pessoas não mudam, nem as boas; tinha saudades de criatividade pura.

    ResponderEliminar
  19. Faz tempo que nao venho aqui, me perdoe... mas hj passei pra ver as novidades e desejar a vc uma noite linda e uma quinta feira iluminada.. beijinhossss

    ResponderEliminar
  20. Ás vezes quem mais nos devia amar,apenas nos sabe maltratar...talvez porque não somos feitos á sua medida.
    Não deixes que nada nem ninguem te deite abaixo.pq por vezes são frustaçoes propias de quem nunca conseguiu vencer
    Bjs

    ResponderEliminar
  21. Ficou inesperado este post...

    Beijo meu ♥,

    A Elite

    ResponderEliminar